1º Rolé de moto com minha irmã

Recentemente minha irmã conseguiu a sonhada habilitação para conduzir motocicleta, comprou uma pererequinha (com todo respeito viu maninha) e pretende usar a mesma para encarar esse trânsito maluco de Belo Horizonte para trabalhar e ir para faculdade. Com certeza ela terá um ganho imenso de tempo.

Pois bem, a moto inicialmente ficou lá em casa para que pudesse rodar com ela os primeiros kms, visto que na moto-escola ela só aprendeu o necessário para se habilitar, mas ensinar os fundamentos básicos que um motociclista precisa saber para rodar de verdade nem na teoria rolou. É sem dúvida a minha maior preocupação.

Desde que ela começou as aulas a gente vem conversando sobre as técnicas de pilotar, frenagem, curva, direção defensiva e tudo mais, no entanto, quando ela está em cima da moto a história é diferente. A teoria pode ajudar bastante, mas somente se ela mantiver a calma e tranquilidade para executar tudo que aprendeu, leu e ouviu de conselhos.

Antes da minha folga, levei a moto para ela poder praticar próximo de casa e ir perdendo o medo. Seria a primeira vez que iria rodar sozinha e trocando marcha (moto-escola é mesmo um lixo…depois querem que acidentes não aconteçam. Detran de merda viu!!!). Ela acabou rodando pouco devido o mal tempo, mas o que vale mesmo e ter vencido a primeira barreira do medo e ter rodado.

Ontem, ela me ligou dizendo que iria até a minha casa e se eu voltava com ela, pois já era a noite e tal. Disse que voltaria sem problema e pedi para que ela viesse tranquila. Neste inicio eu e minha mãe ficamos ainda muito apreensivos, com receio que algo aconteça devido a inexperiência. (mas se não rodar como vai conseguir a experiência e malícia para ser uma boa motociclista? Então o melhor a fazer e rodar com cautela).

Ela chegou lá em casa de boa, foi de boa e respeitando as limitações dela e da moto. Trocamos uma ideia e voltamos juntos até a casa de mãe. Eu fui fazendo a escolta dela e observando os pontos que ela precisa ter mais atenção e cuidado. Nada muito grave, mas que é fundamental quando se esta de moto como sempre conferir o retrovisor, sinalizar as mudanças de direção e desligar a seta após realizar as manobras.

Claro que ela ainda esta nervosa e insegura, foi a segunda volta mais longa que ela deu, mas para uma iniciante andou muito bem, para aperfeiçoar ela precisa relaxar um pouco mais, vai acontecer com o passar dos dias e a medida que ela andar de moto.

Para mim foi uma experiência muito bacana passear como minha irmã, é mais uma coisa que agora temos em comum e que poderemos desfrutar juntos em alguns passeios por aí. Valeu maninha, cuidado sempre, mas desistir nunca. Daqui uns dias estará fera e poderá pilotar a minha.

Similar Posts:

Leave a Comment

Timpo limite excedido. Por favor, refresque o valor do CAPTCHA.