18 dia – Chegada em BH

Acordamos tarde para caramba, também puderá né, o dia ontem tinha sido pesado e nós não dormimos, nos desmontamos. Apos o cafe da manhã já quase 10:00 hs fomos para a Honda resolver o problema de oleo da Magna.

Fomos bem atendidos e conseguimos ser liberados proximo das 11:00 da manhã, ou seja, haviamos imaginado que estariamos em BH logo depois do almoço mas agora chegariamos apenas no final da tarde.

Estavamos empolgado com o ritmo do dia anterior e descemos o bambu nas motocas para aproveitar ao maximo o trecho de retas ate Ipatinga, depois disso a estrada é horrivel, com muitas curvas e um volume grande de camimhões e carros de passeio.

A programação era parar para abastecer em Piriquito e depois somente em João Monlevade. Uns 50 kms depois de Teofilo Otoni tivemos que parar em uma barreira na estrada, havia um trecho em obras e perdemos pelo menos 30 minutos nesta brincadeira. Tinha uma turminha de Brasilia em um Stilo (5 meninos) que trocamos uma ideia e os camaradas estavam longe demais de casa, neste momento pensei comigo: “Ainda bem que estou chegando”.

A pista foi liberada e os candangos sumiram na nossa frente, custamos para pega-los novamente e isso só foi possivel porque moto não fica presa atras de caminhão. Já deviamos ter rodado uns 40 kms acelerando sem dó quando passamos por eles.

Acho que a Magna está de sacanagem comigo, só pode, faltando 1 km para chegar no posto de gasolina em Piriquito ela engasgou, fez que ia e não foi e parou na subida do morro, o posto ficava no final desta decida…risos. Fui até o posto, completei o tanque da Bandit e voltei com um galão com 3 litrinhos de gasolina para a Magna. (Vamos ligar para o AA quando chegar em BH, ela ta bebendo demais… risos).

O mais doido no trecho entre Piriquito e Ipatinga vou ver um movimento louco na beira da estrada a uns 15 km de Ipatinga para socorrer um cara de Uno que estava com o carro pegando jogo. Nunca vi aparcer tanto extintor de incêndio em poucos segundos. Graças a Deus o preju foi só do carro, o cara e os passageiros estavam seguros.

Chegando em Ipatinga passamos por dentro da cidade até Cel.Fabriciano com destino ao cemiterio, queriamos passar no tumulo do nosso irmaozão CABELO, que faleceu em 6/7/2009 e com certeza estaria conosco nesta viagem. Pregamos um adesivo dos MONGES no vaso de flor do tumulo dele, trocamos uma ideia rapida com ele lembrando que sabiamos que ele estava bem, que nos também estavamos mas que durante todos estes dias haviamos lembrado dele, do jeito estrovertido, brincalhão e companheiro. (No ano passado, nesta epoca, estavamos comentando da viagem que tinhamos feito para Itacaré e planejavamos uma nova viagem para o final de 2009 e inicio de 2010).

Seguimos em frente e estava um calor infernal (apesar que lá deve ser mais fresco) e paramos novamente em um bloqueio na estrada. Este debaixo de um sol de lascar e como disse em outro post no inicio da viagem, debaixo das roupas parecia que estava uns 52 graus. Compramos agua e picole dos camaradas que aproveitam estes bloqueios para faturar uma graninha para ver se minimizava o calor. Com estas roupas só não morremos de calor se estivermos sentindo o vento quando estamos acelerando.

Abastecemos em João Monlevade como previsto e paramos no famoso Pão com Linguiça a uns 10 kms de João Monlevade. O Pão nesta parada e bruto demais e vale um almoço…risos.

Como previsto a estrada até BH estava muito cheia, mas viemos com calma e muita atenção para chegarmos em paz. Por volta das 05:30 eu estava estacionando a moto na garagem de casa e o Marelo estava chegando na dele em Lagoa Santa.

Agora é voltar a vida normal e ir programando a próxima viagem porque foi bom demais, melhor foi DOIDO DEMAIS!!!

Similar Posts:

COMMENTS

  • […] 18° dia – Chegada em BH […]

  • Danilo

    Galera,
    Ficou mesmo muito legal o relato da viagem. Quando vierem para estas bandas me liguem.
    Só agora apos ler o Blog é que tenho certeza que a Magna que vi no farol da Barra era de vocês. Neste dia fui ver um amigo e vi a amarela estacionada, mas como só tinha ela achei que era algum clone.
    Abraços
    Danilo.

  • Daniel

    Oi maninho,
    fico feliz que tenha dado tudo certo. Bom demais ler seu texto, muito divertido. Até a próxima viagem e não deixe de escrever no blog, já que temos nos falado pouco. Estou como louco aqui com a tese… Outro tipo de viagem, contra o jubilamento. Prazos vencendo e velocidade máxima… Abração

Leave a Comment

Timpo limite excedido. Por favor, refresque o valor do CAPTCHA.