Iniciando o pré-natal

Passada a eufôria da descoberta da gravidez e os primeiros exames que identificaram que tudo estava evoluindo em perfeita ordem, passamos para o próximo passo, o acompanhamento pré-natal com a médica da Ellen, Dr Maria Lúcia. Ela é muito atenciosa e deixa a Ellen tranquila, então, optamos por fazer o acompanhamento com ela.

Eu tinha ido ao consultoria dela com Ellen a um ano atrás, quando uma gravidez dela não foi para frente, e desde essa época a boa impressão ficou, mesmo com a médica nos dando a notícia de que a gravidez era incerta na ocasião. Não ficou rancor pela noticia e nem dúvida quanto a competência dela, são coisas que acontecem e que Deus sabe os verdadeiros motivos, tanto que Ellen a escolheu como médica.

A consulta de hoje já foi diferente, com mais orientações e recomendações, além claro da solicitação de uma bateria de exames para que o acompanhamento da gestação seja feito bem de perto. O que achei interessante e termos conversado também a respeito da participação do pai nas consultas. Pode parecer bobagem, mas eu pelo menos quero estar presente em todas, para saber o que esta acontecendo e apoiar minha esposa no que ela precisar. Estamos grávidos juntos. A Dra acha importante e não vê problema nisso, gostei dela.

Eu não tenho muito o que fazer lá, para ser bem sincero, em alguns momentos até tenho a impressão que posso atrapalhar ou incomodar, mas como minha esposa também acha legal eu estar presente, vamos que vamos. Vou passar anotar as dúvidas que tenho e perguntar nas próximas consultas.As dúvidas vão brotando o tempo todo em nossa cabeça, é impressionante.

Saímos de lá tranquilos, com a próxima consulta agendada e uma lista de pedidos de exames, dentre ele outros ultra-sons, para vermos a evolução do neném e para descobrirmos o sexo. Não estamos muito ansiosos para saber se é menino ou menina, como disse em outro post, estamos deixando as preocupações na mãe de Deus, com a gente só a parte boa, cuidar da saúde da mamãe e do neném e aproveitar ao máximo cada momento da gravidez.

“Tenho conciência que a participação do pai no processo como um todo términa quando ocorre a fecundação, após isso, todas as atenções e cuidados se voltam para a mãe. É justo, afinal ela é quem esta carregando o nosso bebê, mas tenho certeza que o meu carinho, atenção e amor para com os dois, tende  a ajudar. Tamós juntos Dengo e nenenzinho, vocês são os meus amores .”

A minha maior ansiedade na verdade e para ver a barriga dela crescendo e ganhando forma. Acredito que nessa fase vai ser mais fácil vencer a timidez inicial e trocar mais idéias como o bebê, neste momento ainda fico meio acanhado, sem jeito, não sei explicar. Converso com ele, dou carinho, beijinho, mas quero mesmo é sentir o bebê se mexendo, se esticando todo e dando uns chutes. (se for menino pelo chute vai dar para saber se será um craque de bola e se for menina vai dar para saber qual estilo de luta ela vai fazer, para evitar os meninos abusados).

É isso aí, a experiência foi boa e durante os próximos meses estarei acompanhando tudinho bem de perto, Deus esta cuidando do nosso bebê com muito carinho para que ele chegue com saúde em Novembro.

Similar Posts:

COMMENTS

  • MICHELY

    INCENTIVO NA PARTICIPAÇÃO DAS CONSULTAS,POIS PODERÁ RELEMBRAR O QUE A MÉDICA ORIENTOU E AINDA, NOS INFORMARÁ FIELMENTE DO CRESCIMENTO E ANDAMENTO DO(A) NENENZINHO(A) E GRAVIDEZ POR AQUI! hehehe… BJS QUERIDOS!!!!!

Leave a Comment

Timpo limite excedido. Por favor, refresque o valor do CAPTCHA.