Passeio em Diamantina

No último final de semana nos aproveitamos juntamente com os dindos Andreza e Alex uma promoção do Groupon para conhecermos a cidade de Diamantina. O local de hospedagem foi a Estância do Salitre Hotel Fazenda, que fica a 8 km do centro de Diamantina, sendo 6 kms de estrada de terra.

Para nós tudo era novidade pois não conhecíamos a cidade, mesmo morando próximo da mesma. Uma das festas mais tradicionais e comentadas da cidade é o Carnaval, mas no meu tempo de solteiro sempre acabava indo para outros lados e agora casado vai ser mais difícil animar participar de tal evento.

Diamantina tem outros atrativos como cachoeiras, grutas e o centro histórica da cidade, que é muito bonito por sinal. Como chegamos na sexta a noite e ficaríamos até domingo pela manhã, optamos por curtir um pouco a Estância e dar um role na cidade para conhecer os pontos turísticos, deixando para uma próxima oportunidade os passeios as cachoeiras e grutas.

ruas da cidade sem carro...lindo!!!

No centro histórico, com visão de turista e sem pensar nos comerciantes, trabalhadores e moradores da cidade, acho que deveria ser proibido o trafego de carros pelas ruas históricas (penso que o mesmo deveria ser feito em outras cidades como Ouro Preto e Tiradentes). É estranho e as vezes confuso para mim misturar o moderno com o histórico. Andando pelas ruas de pedra, diante de casas do século passado, que tem uma beleza própria, que te faz voltar na histórica (ao entrar na casa de Chica da Silva por exemplo) e tentar imaginar como seria a vida no vilarejo é emocionante, mas em contra partida, os carros e motos circulando e estacionados por todos os lados poluem todo este visual e você se sente em um mundo paralelo, que não é histórico e nem moderno.

“Fiquei com essa sensação de não querer ver carros e motos circulando na cidade para poder fotografar a cidade em sua beleza plena, despida de modernismos, mas infelizmente não é possível”

Já que não é possível andar de carruagem ou a cavalo, a melhor forma de me adaptar rapidamente a cidade foi sentando no café A Baiuca para tomar uma cerveja estupidamente gelada e saborear alguns tira-gostos. (neste momento parei de perceber que a modernidade não combinava com a cidade).

carro na rua e fumaça de fogo...não combina com Diamantina.

O detalhe é que no final da tarde de sábado, quando estávamos já para voltar a Estância, pude observar uma fumaça escura, preta mesmo, contraste fácil de perceber diante do céu azul e limpo que fazia no final de semana. Era um incêndio ou algo do tipo, e de onde estávamos era possível perceber que devia ser próximo a casa de Chica da Silva. Confesso ter sentido o coração disparar, imagina presenciar um incêndio em uma cidade como Diamantina, vendo casas de séculos sendo queimadas…meu coração ia partir com certeza. No caminho para Estância passamos no local, era caminho, e vimos que o fogo foi no quintal de uma casa, em frente a casa da Chica, mas não era nada grave e os bombeiros já estavam chegando para resolver o problema.

No Hotel Fazenda não aproveitamos muito, pois passamos o sábado na cidade e chegamos a Estância no final da tarde de sábado já quase escurecendo. No domingo pela manhã, por volta de 12:00 hs, viemos embora. O lugar é fantástico, muito aconchegante e de uma paisagem singular. Recomendo a quem quiser conhecer.

a Estância...só um pedaçinho

O que mais me chamou a atenção na Estância foi a simpatia da Leandra e do Sandro (donos da Estância) que nos receberam muito bem, sempre alegres, tranquilos, dispostos e nos deixando á vontade. Sabe aquela sensação de estar em casa, pois é, assim que eu estava me sentindo. Sem contar que o casal tem duas filhas maravilhosas, Sófia e Júlia, uma de 5 e outra 4 aninhos, se não me engano.

Não podia deixar de registrar aqui que ao final da viagem, elegemos como protagonista da mesma as pererecas que estavam em nossos chalés (nosso e da Andreza/Alex). Conversando com a Leandra ela comentou que elas adoram os primeiros chalés e que apesar de sempre manterem limpinho, conferirem e tal elas sempre aparecem. As meninas ficaram um pouco incomodadas, mas não fizeram nenhum escândalo por causa das pererecas, mas quando percebiam a presença das mesmas entravam e saiam rápido do banheiro, ligava para saber se podia usar o banheiro do outro quarto (Andreza ligando para Ellen achando que no nosso não tinha perereca – foi usar o banheiro do salão que fica do lado de fora do chalé) e acabou sendo mais uma distração/atração do local.

Dindos, precisamos repetir a dose, em Diamantina e em outros lugares…vamos ficar de olho nas ofertas do groupon, quem sabe não fazemos outros passeios com preços promocionais?

Vejam o álbum de fotos

Similar Posts:

Leave a Comment

Timpo limite excedido. Por favor, refresque o valor do CAPTCHA.